Rapunzel Empoderada

por Olívia Cornélio, Rodrigo Cornélio e Marcelo Cafiero

18453452-floral-initial-capital-letter-e-stock-vectorra uma vez um jovem casal que, após muitos anos de tentativa, finalmente conseguiu engravidar. A mãe transbordava de contentamento, cantando todos os dias na janela. Acontece, que dali podia ver um lindo pomar cercado por muros altos. A medida que passavam os dias, a alegria deu lugar à tristeza e, apesar de não cantar mais, estava sempre à janela. Até que um dia, seu marido perguntou:

O que está acontecendo, por que está tão triste?

Todos os dias tenho desejo de comer aquelas uvas, mas elas estão no pomar da feiticeira…

Sem poder mais ver a mulher tão triste, o homem decidiu que buscaria as uvas para ela. Pulou o muro e, quando estava recolhendo o segundo cacho da parreira, a feiticeira o surpreendeu:

Um ladrão! Vou lhe mostrar já o que faço com ladrões!

O homem implorou, explicando que sua esposa grávida estava muito triste e temia que ela perdesse a filha que carregava no ventre. A feiticeira então disse a ele que poderia ir, mas ela ficaria com sua filha assim que esta nascesse e não a faria mal. Apavorado, o homem concordou.

Meses depois, quando a menina nasceu, a feiticeira apareceu para cobrar a dívida. Tomou a criança para si, chamando-a de Rapunzel. Triste pela perda da filha a mãe se cegou, colocando a culpa em seus olhos pelo desejo que fez com que perdesse sua filha.

 

Rapunzel cresceu, tinha cabelos longos, tão fortes quanto a corda de um arco e cada dia desafiava mais a feiticeira, descobrindo a forma de fazer alguns encantamentos que ela conhecia.

Quando Rapunzel completou 12 anos, a feiticeira decidiu levá-la para a floresta e trancá-la em uma torre muito muito alta, sem porta ou escada, apenas uma janelinha lá no alto. Sempre que queria entrar, a Feiticeira gritava:

Rapunzel! Rapunzel! Jogue suas tranças!

E a garota amarrava os cabelos em um suporte na janela e jogava-os para que ela subisse.

Os anos se passaram e, sozinha na torre, Rapunzel aprimorava os encantamentos que havia aprendido quando pequena, conversando com pequenos animais e fazendo crescer as pequenas ervas que nasciam entre as pedras da torre. Sempre que a Feiticeira voltava à torre, a garota escondia seus conhecimentos. Mas a Feiticeira era astuta e cruel e, quando viu as ervas cada vez maiores na parede, enfureceu-se, atacando Rapunzel, que não foi capaz de resistir.

Tentei cumprir a promessa que fiz a seu pai, quando ele roubou minhas uvas para sua mãe, mas você me forçou a isso – gritou enfurecida a Feiticeira. Entretanto, não lhe farei mal, apenas a deixarei no deserto para que o dragão se alimente!

A ameaça, embora terrível, supreendeu-a menos do que saber que ela tinha um pai e uma mãe de verdade em algum lugar.

Abandonada no deserto, ela viu o momento em que o grande dragão de couro vermelho se aproximava, soltando terríveis baforadas de fogo tão fortes que a areia ficava incandescente e tornava-se uma fina camada de vidro. Quando o monstro se aproximou, Rapunzel entrelaçou suas tranças formando um enorme laço e o jogou em direção ao Dragão, conseguindo agarrar o seu pescoço. E em um enorme salto, ela se jogou sobre as costas do gigante alado que, apesar de surpreso, concordou em levá-la para a cidade em troca dos longos cabelos da menina.

Rapunzel perguntou a todos da cidade até conseguir descobrir que seus pais haviam se mudado para uma casa distante. Chegando na pequena casinha, ela encontrou sua mãe na cama, abraçou-a e usou um encantamento que havia aprendido para que esta voltasse a enxergar.

 


 

‘Rapunzel Empoderada’ é uma adaptação do famoso conto de fadas ‘Rapunzel‘ publicado em 1812 pelos Irmãos Grimm, utilizado na introdução do episódio #5. Princesas Disney.

A ideia deste conto surgiu a partir de uma brincadeira, durante uma das várias tentativas de colocar Olívia para dormir. Enquanto eu contava a história tradicional para ela, fui perguntando o que ela achava que deveria acontecer com a personagem e as ideias foram surgindo.

A conversa virou um rascunho e o rascunho um conto, moldado e aprimorado pelo Marcelo.


Arte por Haleys-Comet, sob os direitos de Creative Commons.

Anúncios