No Mamada ou Cagada deste mês, recebemos o pai do Vitor Hugo, o Edu Filhote dos podcasts PodBrisar e MachineCast, para discutirmos se devemos ou não emprestar as nossas coisas, sobre propagandas e sobre ensino religioso nas escolas públicas.

Confiram tudo isso e a leitura de cartinhas mais divertida de nossa história!


Conheça o PodBrisar:

 podbrisar

Conheça o MachineCast:

 machinecast.jpg


Mural:

uaiPod_sympla
2º uaiPod – Encontro Mineiro de Ouvintes e Podcasters
  • Dia 21/10/2017 às 16h
  • Local: Mesanino do SESC Palladium
  • Inscrições pelo Sympla


momiscoolcelular-01
Mom Is Cool: Como inserir de forma saudável a tecnologia na vida das crianças
  • Confiram o nosso microcurso para a plataforma MomIs.Cool!

Episódio novo do Podcast Hiperativo!

 


Comentado neste programa:

O relato da mãe norte-americana Alanya Kolberg tem dado o que falar nas redes sociais na última semana. Ela conta de um dia em que foi passear no parque com seu filho, quando ele foi abordado por seis meninos. As crianças pediam emprestado o brinquedo que o filho de Alanya estava nas mãos.

A mãe percebeu que o menino se sentiu acuado e olhou para ela pedindo ajuda. Então, a resposta dela foi “você pode dizer não para eles”. Depois disso, Alanya relata que as crianças que queriam o brinquedo emprestado foram até ela contar o que tinha acontecido.  ” Ele não tem obrigação de te emprestar. Ele disse que não. Se ele quisesse, ele vai compartilhar”, disse.

“Se um adulto vai para o parque comer um sanduíche ele é obrigado a dividir com estranhos? Não! Por isso mesmo, por que você está me julgando pensando que meu filho e eu somos rudes? Quem está sem educação nessa história? A criança que está relutante em dar seus 3 brinquedos para 6 crianças estranhas, ou a seis crianças que exigem algo que não são delas, mesmo vendo que o dono dos brinquedos está desconfortável?

O objetivo é ensinar nossos filhos a agir como adultos. De qualquer forma, meu filho trouxe os brinquedos para compartilhar com essa amiga dela da foto. Ele só não queria dividir com os meninos porque ele estava animado para brincar com a amiga.”

Um estudo da revista The Economist divulgado na sexta feira (25 de agosto) revelou que, na televisão esse tipo de propaganda foi extinto. A redução do consumo de fast food pelas crianças também foi um aspecto positivo da medida. Por outro lado, a programação infantil na tv aberta praticamente acabou.

O Supremo Tribunal Federal (STF) deixou para o próximo dia 20 de setembro a continuidade do julgamento que definirá como devem ser dadas as aulas de ensino religioso nas escolas públicas.

A Constituição Federal prevê o ensino religioso nas escolas públicas brasileiras como disciplina do ensino fundamental (para alunos de 9 a 14 anos de idade), mas estabelece que a matrícula é facultativa. Ou seja, o estudante pode se recusar a cursar a disciplina por vontade própria ou da família.

A ação em julgamento, apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR), propõe que as aulas se limitem à exposição das doutrinas, história, práticas e dimensões sociais das diferentes crenças, assim como do ateísmo e do agnosticismo – o chamado modelo “não-confessional”.


Para Casa:


Músicas do episódio:

  • Closing – Tommy Tornado
  • Mistery Woman – Tommy Tornado
  • Conserve the Trees – The Consicous Youths
  • Mínimo 5 – Rafael Cabral

Fale conosco:


Concorda com a gente? Discorda?
Comenta aí!

Anúncios